1_Puente_impreso_3D

Inaugurada a primeira ponte do mundo construída a partir de impressão 3D

No dia 14 de dezembro do ano passado, foi inaugurada em Madri a primeira ponte peatonal do mundo construída a partir de impressão 3D. Desenvolvida pelo Instituto de Arquitectura Avanzada de Cataluña (IAAC) em um processo que levou mais de um ano e meio para ser concluído, a estrutura cruza um córrego do parque Castilla-La Mancha em Alcobendas.

Embora existam iniciativas similares na Holanda, esta é a primeira a ser construída. Trata-se de uma estrutura impressa em concreto micro-reforçado de 12 metros de comprimento e 1,75 metro de largura.

De acordo com o IAAC, o projeto paramétrico permitiu “otimizar a distribuição do material e minimizar a quantidade de resíduos mediante a reciclagem da matéria prima durante a fabricação. O projeto computacional também permitiu maximizar o desempenho estrutural, direcionando material apenas onde este é necessário, com total liberdade de formas, mantendo a porosidade graças à aplicação de algorítimos generativos e desafiando as técnicas tradicionais de construção.”

Em entrevista com o ArchDaily em Espanhol, Areti Markopoulou – Diretora Acadêmica do IAAC – explica uma dos desafios do projeto: “o tamanho da peça impressa foi um fator crucial, pois as dimensões máximas permitidas pelo equipamento são 2m x 2m x 2m. Isso influenciou muito a estratégia e o desenho.”

O projeto executivo, liderado pela ACCIONA, foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar de arquitetos, engenheiros mecânicos, engenheiros civis e representantes da administração municipal.

Cliente: Prefeitura de Alcobendas

Equipe de projeto: IAAC, Areti Markopoulou, Rodrigo Aguirre, Alexander Dubor, Jayant Khanuja
Construtora: ACCIONA
Em colaboração com: D-Shape – Enrico Dini

Cortesia de IAAC

Cortesia de IAAC
Cortesia de IAAC

Fonte: Archdaily

lp-body-image600x300

Guia definitivo para adoção estratégica do BIM

Cresça com profissionalismo e inovação

Como bom arquiteto, você detesta ‘puxadinhos’ – para entregar o resultado esperado por seus clientes, você sabe a importância de um bom projeto e de uma execução da obra de acordo com o planejamento.

Assim como você, a grande maioria dos profissionais de AEC já entende que a metodologia BIM muda a forma de planejar, projetar, construir e manter ambientes construídos. O impacto do BIM nos projetos é mensurável através dos custos e prazos de execução reduzidos, e também transparece nos resultados financeiros da obra e todos seus agentes.

Neste guia produzido pela Autodesk, você aprenderá um pouco mais sobre como a implantação do BIM em sua prática de arquitetura poderá ajuda-lo a crescer de forma sólida, aumentando sua lucratividade, conquistando mais projetos, trabalhando com mais eficiência e mantendo seus clientes mais satisfeitos.

Acesse, preencha o formulário  e receba o Guia. Boa leitura!

Businessman Notepad Roi Word Concept

Medindo o ROI em BIM

02_figblog

A Autodesk vem conversando com várias empresas líderes em AEC, que já mencionaram a dificuldade em calcular o valor do BIM, e por isso contratou uma pesquisa através de duas empresas independentes: King Brown Partners e Scan Consulting.

Foi um processo estruturado em etapas, entrevistando empresas Norte Americanas e também alguns Grupos Executivos de São Paulo.

O material está muito bem elaborado e irá apoiar várias decisões profissionais e de negócio neste momento oportuno que estamos passando agora no Brasil. Porque é exatamente no período de pouco movimento que devemos investir em melhorias de processo, renovação da capacitação da equipe e melhorias de infraestrutura corporativa.

01_figblog

É extremamente importante que Proprietários, Incorporadoras e Construtoras entendam que a metodologia permite redução de prejuízos. BIM não pode ser associado apenas aos Arquitetos que desejam fazer maquetes eletrônicas bonitas, mas sim a todos os níveis, com o intuito de desenvolver um projeto de fácil compreensão e aprovação, mas servindo efetivamente para apoiar a construção, e mais além, na operação e manutenção de empreendimentos que irão perdurar por 50, 100 anos, ou mais.

No Cálculo do investimento, por exemplo, foram considerados vários aspectos, como:

  • Investimento Inicial
  • Custos por projeto
  • Planejamento estratégico

Se você ainda faz perguntas do tipo…

  • Como dimensionar o BIM à minha empresa ou ao Projeto em questão?
  • O que posso medir para embasar uma decisão por inovação?
  • Qual o impacto em cada nível profissional, e como adequar as funções antigas aos novos processos de trabalho, para que haja sucesso com o BIM?

Estas e outras são abordadas no E-book, e soluções são sugeridas de acordo com as melhores práticas dos Líderes em BIM, dos EUA e do Brasil.

Afinal, a adoção do BIM está diretamente associada ao fato de que todos os envolvidos no ciclo de vida do Empreendimento querem ganhar mais dinheiro. Seja por entregar um projeto totalmente compatibilizado, com menor consumo de HH, ou seja porque a construtora vai conseguir cumprir os prazos, reduzir as perdas de material, programar efetivamente cada tarefa.

Quanto mais rápido e eficiente o Ciclo de Projeto é concluído, maior o retorno do investimento também para quem vai operar uma Universidade, Centro Empresarial, Shopping, Fábrica, Hospital ou qualquer outro tipo de estabelecimento.

O E-book é gratuito e está disponível no site da Autodesk: clique aqui

Future_Of_Making_Things-07-1024x576

Conheça o mundo AEC – novo Blog Oficial sobre AEC da Autodesk Brasil

A Autodesk neste ano apresentou a AEC Collection, porque entende que o mundo AEC (Arquitetura, Engenharia e Construção) está todo conectado, sendo só um elemento. Imagine você projetar um edifício sem entender como será a sua implantação? Qual será o trabalho de terraplenagem? A drenagem? O seu impacto no entorno? Na mobilidade urbana? Ou mesmo um projeto de uma ponte, no qual preciso das mesmas ferramentas de detalhamento de estruturas de edifícios, ou se preciso fazer estudos preliminares, planejamento, avaliações diversas, levantamento por captura da realidade, etc.

Neste intuito, o time técnico da Autodesk resolveu unir os blogs http://autocad-revit-arquitetura.typepad.com/ e o blog infrabrasil.autodesk.com em um novo blog sobre AEC, aonde especialistas vão discutir todas as  soluções e tecnologias para esta industria, além também de assuntos referentes ao mundo AEC em geral, como tendências, BIM, o mercado e o futuro de como se projetar e fazer as coisas, entre outros.

Além disto a Autodesk tem investido fortemente em soluções de colaboração como o Collaboration for Revit e BIM 360 Team e em construção com a sua linha BIM 360, além de ferramentas de visualização e gameficação como o Autodesk Live  e o Autodesk Stingray

Para esta missão o blog contará  com o time de especialistas da Autodesk para AEC. Conheça cada um deles melhor aqui

Conheça também o canal no Youtube 

Mas do que vamos falar aqui? Em todo o mundo, indústrias evoluem à medida que novas tecnologias transformam a maneira como as pessoas criam produtos, edifícios, infraestrutura e muito mais. Tendências tecnológicas têm mudado a maneira com a qual os profissionais de arquitetura, engenharia e construção planejam, projetam, constroem e mantêm o ambiente construído e os serviços públicos oferecidos à população. A tecnologia tem sempre transformado a maneira como as coisas são feitas e tem aberto oportunidades para determinar e moldar o nosso futuro. Neste contexto de inovação e transformação tecnológica a “Modelagem da Informação da Construção” (Building Information Modeling – BIM) insere-se como um novo processo que se baseia em modelos tridimensionais inteligentes para a criação, a construção e o gerenciamento de edifícios e infraestrutura. As informações precisas e acessíveis nesses modelos capacitam os membros de um projeto a tomar melhores decisões e a responder mais rapidamente às necessidades do projeto. BIM já é um processo amplamente aceito em várias partes do mundo. De acordo com pesquisas realizadas pela consultoria McGraw-Hill em empresas de construção norte-americanas, BIM é usado atualmente por mais de 70% da indústria de Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC). Em acrésBIMo, 50% das empresas relataram o uso de BIM para projetos de infraestrutura. Além disso, o número de governos, incluindo os dos EUA, Reino Unido, Cingapura, Finlândia, Alemanha, França, Brasil e China, com mandatos (“BIM Mandates”) estabelecidos ou políticas BIM emergentes continua a crescer.

Hoje o BIM  tem sua relevância para todos os setores da Arquitetura, Engenharia e Construção, isto é, mesmo havendo hoje algumas definições complementares como CIM (Civil Information Modeling) não utilizamos a mesma. Primeiro a norma ISO/ABNT 12006/15965 que traduziu BIM como “Modelagem da Informação da Construção”, sendo Construção tanto de infraestrutura civil e edificação, como estradas, ferrovias, etc. Como também vários grupos de trabalho ao redor do mundo que trata o BIM como um grande corpo de metodologia que entende as suas aplicações como subgrupos do uso do BIM para Edificação, o BIM para Infraestrutura, etc. Sendo assim o BLOG trata o BIM de maneira ampla e plural.

infrastructure_roads_cowi-01

À medida que o uso de BIM avança, cresce a quantidade de informações de projeto mantidas em meio digital. A continuidade desta informação ao longo do ciclo de vida de um projeto é fundamental para o cumprimento dos valores e do sucesso de um projeto baseado em BIM. Com a proliferação de informações, as empresas precisam de uma abordagem mais integrada para capturar, gerenciar e compartilhar dados entre equipes de projeto e construção cada vez mais diversas e distribuídas, afim de maximizar os benefícios para os negócios.

Entretanto, a implementação de BIM não é uma tarefa fácil. Envolve tanto revisão de processos quanto adoção de nova tecnologia. Destes dois, os processos representam cerca de 80% da solução e a tecnologia apenas 20%. As pessoas, ainda mais importantes, representam 100% da solução, pois são elas que devem abraçar os novos processos e as novas tecnologias.

LIVE_Editor_Sarang_BIM

As empresas mais bem-sucedidas com BIM já perceberam que a Modelagem da Informação da Construção é, em primeiro lugar, uma decisão de negócios e têm clareza de como BIM apoiará a estratégia da sua organização. Elas também reconhecem que BIM é uma decisão de gestão, pois sem as pessoas certas a implementação BIM não será bem-sucedida. E, por último, mas não menos importante, elas concordam que adotar BIM envolve mudar muitos dos processos existentes.

construction-47349180

 

Fonte: Blog da Autodesk

 

janis

Tecnologia Autodesk é usada em homenagem à cantora Janis Joplin

Nem só de Pokémon Go vive o uso da realidade aumentada nas cidades. O designer de animação Mauro Castro e o artista plástico Bel Borba se uniram para criar uma ação cultural para a cidade de Salvador em homenagem à cantora Janis Joplin.

Bel Borba desenvolveu o desenho e o conceito da ação enquanto Mauro Castro transformou a arte em uma escultura virtual em movimento, criada com a ferramenta Autodesk 3Ds Max, que só pode ser visualizada por meio do smartphone.

Banner

Troque sua licença Autodesk por até 22 softwares!

Você sabia?

Você agora pode ter acesso a uma ampla coleção dos mais essenciais softwares e serviços da Autodesk em um único pacote, de forma simples, cômoda e por um preço atraente. Desde de 22/10 clientes que possuem assinatura de Autocad, produtos individuais ou suítes versão Standard já podem trocá-las por uma Industry Collection, com até 22 softwares!

Confira os produtos elegíveis para a migração para cada uma das suítes:

Architecture, Engineering & Constrction Collection

Media e entertainment Collection

Product Design Collection

Condições:

– Troca mediante valor rateado pelos meses faltantes até o final da assinatura.
– Troca permitida após 90 dias após a aquisição da assinatura;
– Condição não é válida para assinaturas mensais ou trimestrais;
– Condição não é válida para produtos da família LT;
– A data de aniversário não será alterada;
– O período de vigência, tipo de acesso e nível de suporte não mudarão;
– Assinaturas single-user não poderão ser trocadas para multi-user;
– Troca não disponível para licenças perpétuas;
– Troca de produtos individuais, edições Standard da suíte de projeto e criação e qualquer edição do AutoCAD Design Suíte exigirá o pagamento da diferença de preço aproximada para uma industry collection, calculada proporcionalmente de acordo com o período restante da assinatura;
– Após a troca o cliente terá 30 dias para deixar de usar a licença antiga e baixar os novos produtos;
– No caso de migração, no momento da renovação da licença, será pago o valor referente à renovação da Collection.

Quer fazer a migração? entre em contato com a Solo Network e solicite valores.

Solo Network é Revenda Autorizada Autodesk, especialista na especificação e venda  das soluções deste fabricante para o mercado corporativo e educacional. Contamos com especialistas em licenciamento, certificados pela própria Autodesk, que podem ajudá-lo a configurar da mais simples à mais complexa solução, sempre assegurando o menor custo e a certeza de estar comprando o produto correto na quantidade necessária.

Autodesk_Homestyler_Mobile_04_gallery

16 aplicativos Autodesk para baixar gratuitamente e soltar a criatividade

Já conhece os aplicativos free da Autodesk? Ao todo são 16 aplicativos que você pode baixar gratuitamente e soltar sua criatividade. Você pode ver todos eles aqui.

Conheça um pouco mais alguns deles:

Instructables

É a maior comunidade de “faça você mesmo” do mundo. Está disponível para desktop e você pode baixar o aplicativo também pela Appstore e Google Play. Aí é só buscar o tutorial do que você quiser fazer. Tem desde receita de bolo de chocolate até projetos de modelagem 3D para impressão.

A dica é: busque temas como fantasia, Star Wars, bebês ou o que você quiser. Certeza que você vai se divertir com o que o pessoal inventa.

Homestyler

Esse é um aplicativo que muita gente usa quando quer reformar a casa. Você tira a foto do ambiente que quer alterar e brinca com as opções que o aplicativo possibilita. Assim fica mais fácil decidir como será a próxima reforma da sua casa, por exemplo.

123D Catch

Você pode usar no Desktop ou Iphone. Ele permite que você crie o modelo 3D do que quiser. Funciona assim: você tira fotos de vários ângulos do que quiser e essas imagens geram o formato 3D. Tem gente inclusive usando isso para projetos profissionais. Veja nesse vídeo

Sketchbook

Esse é um dos aplicativos mais populares da Autodesk, pois possibilita que qualquer pessoa desenhe qualquer coisa. Tem até gente que também usa o aplicativo para melhorar seu processo de trabalho. Veja aqui.

Fonte: Blog Autodesk adaptado por Solo Network

engenharia civil-e-economia

Ranking da Engenharia no Brasil traz dados de mercado, tendências e um ranking das maiores empresas.

A revista O Empreiteiro divulgou no mês de agosto uma pesquisa exclusiva com dados de mercado brasileiro, tendências e um ranking das maiores empresas. O Ranking da Engenharia Brasileira é tabulado a partir dos dados apurados por uma pesquisa exclusiva da revista, que envolve 3 mil empresas nos quatro segmentos de atividades de engenharia, desde 1971.

O estudo serve de referência durante os próximos 12 meses para os principais participantes que nele atuam, desde as próprias empresas de engenharia, os contratantes públicos e privados nas três esferas de governo, as concessionárias, os fabricantes e distribuidores de equipamentos e materiais de construção, as prestadoras de serviços especializados e correlatos, instituições financeiras e afins.

Confira aqui o estudo e comece já o seu planejamento para o ano de 2017!

BIM_Hospital_Construction-4

Como saber se vale a pena sua empresa investir no BIM?

Enquanto o BIM é cada vez mais uma necessidade na arquitetura, ainda é difícil quantificar os benefícios que ele está trazendo para a indústria. Atualmente, não existe um método padrão da indústria para o cálculo do Retorno Sobre Investimento (ROI) do BIM e, devido às complexidades do cálculo, muitas empresas não adotaram quaisquer práticas de medição consistentes para determinar o benefício monetário que a tecnologia trouxe à sua empresa. A dificuldade centra-se no fato de que a análise tradicional do ROI é incapaz de representar fatores intangíveis que são importantes para um projeto de construção, tais como os custos evitados ou melhoria da segurança.