bimblog

BIM Essentials, uma compilação incrível de diversos artigos sobre BIM!

Esse artigo é parte do ArchDaily Essential, uma série de artigos que dão um panorama sobre os tópicos mais importantes da arquitetura através da conexão dos melhores artigos já publicados no ArchDaily. Encontre  mais sobre o ArchDaily Essential e confira todos os textos desta série

Nós normalmente ouvimos sobre a grande mudança na tectônica que as tecnologias digitais trouxeram para quase todos os aspectos das nossas vidas, mas em particular de uma forma ainda discreta, a arquitetura foi revolucionada pela informatização. Building Information Modeling (BIM), a modelagem da informação da construção, é uma revolução que ocorre no plano de fundo e tem implicações sobre todas as fases do processo de construção desde o desenvolvimento até a construção e no ciclo de vida do edifício. Conforme definido pelo Comitê Nacional do Padrão da Modelagem da Informação dos EUA:

‘Building Information Modeling é a representação digital de características físicas e funcionais de uma instalação. BIM é um recurso de conhecimento partilhado para obter informações sobre uma instalação que forma uma base confiável para tomada de decisões durante seu ciclo de vida; definida como existente desde a primeira concepção ate a demolição. ’ [1]

Enquanto isso da algumas indicações sobre as aplicações do BIM, muitas pessoas ainda devem se perguntar como tamanha mudança aconteceu, quais são suas aplicações e benefícios, e como isso irá moldar o futuro da arquitetura?

O Passado
O que é o BIM e como surgiu?

O que é BIM? Para o que é útil? É um software, um modelo tridimensional, um processo, uma reunião de dados? Em síntese, tudo está correto. Essencialmente, a pratica do BIM transforma tarefas da construção em informação compartilhada entre arquitetos, engenheiros e empreiteiras, unificando componentes constituintes em uma taxonomia envolvente e alterável de elementos construtivos. O BIM ajuda a enfatizar escolhas, monitorar mudanças, propor alternativas de projeto, mensurar fatores do ambiente como ruído, luz, índices de sustentabilidade, calcular o tempo de construção e os custos, criar estratégias para operação e gestão pós-construção. Em termos leigos, se arquitetos, engenheiros e empreiteiras estão usando a mesma forma de representação – em arquivos compartilhados, regularmente atualizados – isso irá mostrar conflitos, facilitar alterações, reduzir o desperdício e aumentar a eficiência.

Entrevista: Viktor Várkonyi – Graphisoft CEO
KATIE WATKINS

Ler o artigo no archdaily.com

O Futuro da Indústria da Construção
KARISSA ROSENFIELD

Ler o artigo no archdaily.com

Como muitas tecnologias, a base para o BIM começou muito antes de ser amplamente adotado pela indústria da construção. Em 1960 e 70, os primeiros pioneiros da ciência da computação e da web previram o quanto a interconectividade iria transformar a arquitetura através da mudança dos desenhos bidimensionais e da colaboração mais integrada. Aumentando de forma constante por mais de duas décadas, em 2012 mais de dois terços dos arquitetos, engenheiros e empreiteiras incorporaram as práticas do BIM nos escritórios e fluxos de trabalho.

Uma breve história do BIM
VANESSA QUIRK

Ler artigo no archdaily.com

Quão essencial é o BIM hoje?

Como prova do quão eficaz o BIM pode ser e do quão generalizado a adoção dele já se tornou, o grupo de Trabalho em BIM do Governo Britânico expôs um conjunto de mandatos que irá impor um nível mínimo de requisitos de Modelagem da Informação para todos os projetos do governo a partir de 2016 [2] – a lógica se baseia nas estratégias BIM que já mostraram o seu potencial em reduzir os custos de construção, e com a implementação deste mandato, e com um investimento em padrões e protocolos, o governo vai catalisar um futuro mais eficiente e eficaz em termos de custos para a indústria da construção em geral.

Aplicações no mundo real
Resolvendo através da síntese e Especificidade

O BIM promove uma maior colaboração e integração do processo de concepção e construção, que, em circunstâncias ideais, reduz o tempo e o custo para todos os envolvidos. Algumas das maiores vantagens são a capacidade de solucionar problemas em tempo real, incluindo fatores que poderiam ter resoluções impossíveis ou progressivamente lentas , tais como mudanças sazonais ou visualização de um projeto a partir de qualquer local ou ângulo escolhido.

Metodologia de projeto integrada
TIM WINSTANLEY

Leia o artigo no archdaily.com

 

Sefaira anuncia ferramenta de visualização de luz do dia em tempo real para o Autodesk Revit
JAMES TAYLOR-FOSTER

Leia o artigo no archdaily.com

 

Dynamo: O segredo de trabalhar com mais eficiência e facilitar a sua vida.
SABRINA SANTOS

Leia o artigo no archdaily.com

 

VIDEO: Ângulos  de vista com Design Paramétrico
ANDREW GIPE

Leia o artigo no archdaily.com

 

Novas Construções

Sempre na vanguarda da inovação tecnológica, Frank Gehry e sua associada Gehry Technologies usou o BIM extensivamente no projeto do seu primeiro arranha-céu em Manhattan, na 8 Spruce Street. Nesse projeto, na linha de frente ao apoio de Gehry para um projeto sem o uso do papel, a conveniência do BIM permitiu apenas oito erros, quando um projeto de tamanho semelhante normalmente teria centenas:

Software do Gehry entra nas nuvens, promove a não utilização de papel na construção
RORY STOTT

Ler o artigo no archdaily.com

Um dos primeiros e maiores projetos em escala a utilizar o BIM foi o One World Trade Center. [3] Deixando de lado as burocracias políticas que permitiram com que os orçamentos a inflassem e os prazos caducassem, o BIM permitiu que o conhecimento avançado e a eficiência fossem introduzidos em uma das mais complexas construção de todos os tempos, como explica este vídeo produzido por B1M:

Construções Antigas

Enquanto reformavam a galeria real de Fotografia em Hague , Arup usou o BIM como uma opertunidade para atualizações de sistema, dos quais as principais preocupações eram incêndios, roubo, moderação do clima e controle de danos. Como o trabalho de Arup foi destinado a ser em grande parte invisível – um complemento escondido mas necessário para o trabalho de arquitetos de restauração – tecnologias BIM provaram ser inestimáveis:

A Galeria Real de Fotografia  em Hague reabrirá seguindo uma extensiva renovação
JAMES TAYLOR-FOSTER

Ler artigo no archdaily.com

 

Cidades

Eficaz em escalas ainda maiores, as estratégias do BIM podem ser usadas por cidades para projetos de infraestruturas com a mesma gama de vantagens proporcionadas na construção de edifícios individuais. Além disso, softwares BIM podem modelar cidades inteiras (como viadutos em 3D no Google Maps) para planejar alterações no zoneamento. Tal prática permite que os planejadores vejam como a luz, as sombras e a visibilidade podem ser afetadas por novas regras implementadas em diferentes partes das cidades:

 

Cidades virtuais poderiam tornar as cidades reais mais inteligentes?
KLAUS PHILIPSEN

Ler artigo no archdaily.com

 

Parametricismo

Em seu nível mais fundamental, um objeto “paramétrico”, de maneira simples, refere-se a um conjunto de parâmetros que ajudam no processo de análise inicial e do desenho subsequente de um edifício. No entanto, a síntese de operações possibilitadas pelo BIM também torna possível a criação de diversas formas que conhecemos como Parametricismo. Defensor moderno mais importante do Parametricismo, Patrik Schumacher do Zaha Hadid Architects, tem escrito e falado sobre o assunto extensivamente. Ele argumenta que, ao em vez de ver o Parametricismo como um conjunto unificado de características visuais, devemos reconhecê-lo como as manifestações físicas e estéticas das técnicas de investigação, particularmente na organização, particularmente na organização, que têm permitido uma maior flexibilidade formal:

Manifesto parametricista/ Patrick Schumacher
KAREN CILENTO

Ler artigo no archdaily.com

 

Inconvenientes
O que o BIM pode retirar do design?

O parametricismo pode nos enganar a pensar que as estratégias do BIM só produzem arquitetura complexa sem precedentes e altamente refinada, mas isto é uma superestimativa. Muitos argumentam que a racionalização do BIM pode facilmente tornar-se vítima do seu próprio sucesso caso o processo de modelagem torne-se apenas um meio para se obter eficiência e redução de custos, desse modo eliminando escolhas arquitetônicas e projetuais do processo de construção:

 

Definindo uma arquitetura mais significativa:  Um guia para atuais tendências de arquitetura
MICHAEL WACHT

Ler artigo no archdaily.com

 

Computadores são ruins para a arquitetura?
MICHAEL KILKELLY

Ler artigo no archdaily.com

 

Porque desenhar irá nos salvar

Muitos na área da arquitetura argumentam que as soluções digitais como o BIM são mais eficazes quando combinadas com tecnologias mais tradicionais. Portanto, mesmo na Arup, o desenho a mão ainda prova a sua eficácia. Quando se está tendo ideias ou sob pressão, uma caneta e papel muitas vezes pode ser um lugar melhor para começar a elaboração de estratégias, especialmente na fase inicial onde a rigidez de técnicas são um revés para a espontaneidade. E, pelo menos para o momento, os gráficos de um modelo BIM não são capazes de atingir o nível de detalhe encontrado em desenhos a mão:

Desenhando em uma Era Digital: Isso tem sido mais relevante do que nunca?
ARUP CONNECT

Ler artigo no archdaily.com

 

O computador X a mão em desenhos de arquitetura: Leitores do Archdaily respondem
RORY STOTT

Ler artigo no archdaily.com

 

O futuro
Utilização da nuvem e Codificação

Embora possa ter seus detratores, os benefícios do BIM superam os riscos. Ou seja, o futuro para arquitetos, engenheiros e empreiteiros será mais colaborativo do que nunca. Uma ajuda para este processo será a computação em nuvem, que vai facilitar ainda mais os processos do BIM permitindo que os arquivos sejam acessados simultaneamente e atualizados em tempo real:

BIM: Colaboração pela nuvem
RORY STOTT

Ler o artigo no archdaily.com

 

Como esta transição demanda um tempo, arquitetos irão se beneficiar de um conhecimento maior de software e, em particular, da codificação. Aprender a codificar permitirá simplificar ações complexas e facilitará ainda mais o processo do BIM:

5 Razões pelas quais arquitetos devem aprender a codificar
MICHAEL KILKELLY

Ler artigo no archdaily.com

 

Com a ajuda de Robôs, o BIM transformará a construção

Como as máquinas continuam a automatizar tarefas que eram executados por trabalhadores humanos, o setor da construção também será revolucionado pela robótica. Trabalhos que antes levavam meses com trabalhadores qualificados poderiam ser simplificados por máquinas que irão utilizar software BIM para determinar seus movimentos, como explicado por Wolf D. Prix  nesta entrevista sobre o processo por trás do desenvolvimento do Museu de Arte Contemporânea & Planejamento, Shenzhen:

A Revolução dos Robôs: Coop Himmelb(l)au Founder Wolf D. Prix fala sobre as construções do futuro
EVAN RAWN

Ler o artigo no archdaily.com

Software BIM

Enquanto o BIM pode ser muito mais do que simplesmente uma categoria de software, os aplicativos que oferecem aos designers acesso ao processo BIM são, contudo, um dos seus principais componentes. Até então, o tempo e os custos associados com a compra do software necessário e do treinamento dos profissionais da indústria da construção para usá-lo tem sido uma das maiores barreiras para a adoção mais generalizada.

Quais são as opções disponíveis para um software compatível com BIM?

Como o potencial do BIM se tornou amplamente reconhecido, as empresas de software têm-se mantido na vanguarda da inovação através do lançamento de novos programas relacionados com o BIM e também a partir da incorporação de recursos BIM em suas ofertas existentes, em todos os níveis desde aplicativos móveis até software desktop mais pesados:

 SketchUp 2014 incorpora capacidades BIM
JAMES TAYLOR-FOSTER

Ler o artigo no archdaily.com

 

O Último APP da Graphisoft: BIMx Docs
SPONSORED POST

Ler o artigo no archdaily.com

Naturalmente, a partir da grande variedade de opções disponíveis, vários tentaram simplificar as opções disponíveis para arquitetos:

Qual software para arquitetura você deveria estar usando?
MICHAEL KILKELLY

Ler o artigo no archdaily.com

Relatório elege  a melhor plataforma de BIM e de Design da Construção para 2015
PATRICIA ARCILLA

Ler artigo no archdaily.com

 

Como eu posso aprender a usar estes Software?

A compreensão de muitos arquitetos sobre o BIM é acentuado pela ideia de que enquanto a complexidade natural dos projetos de arquitetura  costumavam ser encontrados nos processos aleatórios da construção, atualmente, é encontrada no software utilizado no processo BIM. Como tal, muitos arquitetos permanecem assustados com a perspectiva de aprender essas novas ferramentas, e profissionais que já estão qualificados no uso do BIM estão em alta demanda. Felizmente, a internet oferece muitas maneiras de ensinar a si mesmo como usar essas ferramentas:

 

Os Melhores tutoriais de Software na Web ( De acordo com leitores do Archdaily)
PATRICK KUNKEL

Ler o artigo no archdaily.com

Referências:
1. National BIM Standard-United States FAQs, acessado 11/23/2015
2. BIM Task Group Website, acessado 11/23/2015.
3. “BIM Used to Deliver One World Trade Center, New York” on YouTube (referência da descrição do vídeo). Acessado 11/23/2015.

Artigo traduzido do Archdaily.com. Para ler o artigo original clique aqui.

 

protese-autodesk-abre-700x496 (1)

Prótese feita pela Autodesk nos jogos Rio 2016

A campeã alemã de para-ciclismo Denise Schindler usará uma perna protética projetada e impressa em 3D para competir nas Paraolimpíadas do Rio de Janeiro, em setembro. A nova prótese é resultado de uma parceria entre a atleta e a Autodesk para explorar como as novas tecnologias de produção podem ser aproveitadas para aumentar a acessibilidade das próteses esportivas.

Antes da parceria com a Autodesk, a fabricação da prótese de Denise era feita quase inteiramente à mão por técnicos que usavam um processo de fundição de gesso e, em seguida, passava semanas na refinação. Esse método gerava um produto muito bem-acabado, entretanto levava em torno de 10 semanas para ser concluído e tinha um custo significativamente alto.

Denise-Bike-Leg_16-0411_01_cred_-Autodesk-300x200

Contornar o processo de fundição do gesso era demorado e muitas vezes impreciso, até a prótese passar por processos digitais. A prótese foi modelada usando a ferramenta de design avançado, o Fusion 360, que permitiu que os envolvidos no projeto — localizados na Alemanha, em Londres, em São Francisco e em Portland – trabalhassem de forma colaborativa. No total, foram feitas 52 versões digitais da prótese até chegar no desenho final.

Para reduzir o peso da prótese, a equipe aproveitou o poder do design generativo usando o Autodesk Within. A prótese foi impressa em 3D no Pier 9 da Autodesk, em São Francisco. O processo levou menos de cinco dias e custou cerca de um quarto do preço.

protese-autodesk-abre-700x496 (1)

“Meu sonho é que essas próteses sejam acessíveis a todos e estou muito animada com os resultados deste projeto”, afirmou Denise. “O ponto mais importante sobre qualquer prótese, especialmente uma prótese de esportes, é o conforto, em virtude do tempo gasto no treinamento e na competição. Ser capaz de desenvolver uma prótese bem ajustada que não comprometa o desempenho, em menos tempo e com menos custo do que os meios tradicionais, é um verdadeiro avanço”, relata a atleta.

Denise perdeu a perna em um acidente quando tinha dois anos. Ela tem competido pela Alemanha em inúmeros eventos internacionais, tendo conquistado a medalha de prata nas Paraolimpíadas de Londres, em 2012, duas medalhas de pratas e uma de bronze no Campeonato Mundial de Para-ciclismo. Seu próximo passo é a Rio 2016.
“Esta colaboração mostrou como as novas tecnologias, ferramentas e técnicas como a fabricação aditiva, o design generativo e a nuvem estão mudando o futuro de fazer as coisas. Com a Denise, fomos capazes de trabalhar juntos para mostrar como funciona criar próteses e mais: que no futuro poderá ser feito a um custo muito menor e com prazos mais curtos, trazendo acessibilidade para todos”, enfatiza Roland Zelles, VP EMEA da Autodesk.

A Solo Network trabalha com toda a linha de produtos Autodesk. Acesse para saber mais.

Com informações da Autodesk Brasil.

imagem_post_ionemoser

Regularização Fundiária

Palavra do Especialista – Regularização Fundiária 

Periodicamente o Solo Workflows traz um profissional que é referência no mercado para discorrer sobre um tema relevante ao universo da tecnologia empregada nos campos da Construção Civil, Infraestrutura e Arquitetura. A convidada deste post é a Engenheira Cartógrafa Ione Moser, responsável pelo Sistema de Automação Topográfica Posição junto a Leica Geosystems do Brasil.

Com mais de 7.000 cópias vendidas, o Sistema Posição é um aplicativo profissional integrado ao AutoCAD® e também ao BricsCAD®, que permite a elaboração de cálculos e desenhos de levantamentos topográficos com funções que abrangem desde a transferência e/ou digitação de dados de Estações Totais e GPS até a edição final dos desenhos.

Confira o texto e deixe seus comentários!

ABBIM

Já conhece a associação brasileira de BIM?

Entidade surge para impulsionar a adoção da tecnologia no país

A Associação Brasileira de BIM (ABBIM) surgiu como uma iniciativa de um grupo de profissionais da Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC), dispostos a criar um espaço de discussão que fomente a evolução da indústria da construção civil para o uso dessa tecnologia.

A ideia de fundar a entidade surgiu inicialmente durante o 1o Seminário Construindo BIM, cujo objetivo foi integrar os governos estaduais do Rio Grande do

AU

Autodesk University Brasil 2016

Inscrições abertas para a 6° edição do evento, que acontece em setembro

Vem aí o mais importante evento profissional de projetos de design, arquitetura e engenharia do Brasil. O Autodesk University chega à sua 6a edição Brasileira acompanhando as tendências tecnológicas e as melhores práticas nas áreas de atuação da Autodesk: a Internet das Coisas e as novas formas de fabricação na indústria de Manufatura, o BIM e a Era da Conexão dos edifícios às cidades inteligentes em AEC, até as novas experiências em criação e entretenimento digital para a área de Games, Cinema e Efeitos Visuais, entre outros. Tudo isso na perspectiva dos profissionais e empresas que lideram o mercado. 

13524071_1053645488051069_610390745_o

Workshops Hands On Autodesk

Turmas lotadas para aprender tudo sobre os melhores softwares de arquitetura e construção do mercado!

Nossos especialistas em produtos Autodesk realizaram no mês de junho uma série de 3 workshops, que tiveram como objetivo explorar alguns dos principais recursos dos softwares Revit, Navisworks e Infraworks 360.  Os encontros foram abertos a clientes e convidados, e aconteceram nos dias 12, 23 e 30/06, em Curitiba.

4D Printing

Impressão 4D, Reimaginando o jeito que construímos

O Self assembly lab, um laboratório de pesquisa multidisciplinar na MIT (Massachusetts Institute of Technology) está propondo uma nova esfera de impressão tridimensional, a impressão 4D, também conhecida como automontagem.  A partir da programação de materiais o grupo visa transformar a maneira que pensamos a construção, a manufatura e a montagem de produtos em geral.

Aibotix Hexagon

O Drone Show Curitiba acabou, mas fique ligado no Prêmio Drone Show 2016!

Quem não pôde ver o pequeno gigante Aibotix no estande da Leica Geosystems no Drone Show Curitiba, que ocorreu nos últimos 2 dias no Instituto de Engenharia do Paraná, e perdeu de conhecer este modelo de 350 mil reais da Hexagon que estava voando pelo céu de Pinhais estes dias, não fique #chateado! Você ainda tem a oportunidade de conhecer esse e outros drones no Drone Show LatinAmérica 2016!